• INCC

GC 19: A interpretação de Jesus sobre a justiça e as esmolas


VERSÍCULOS CHAVE:


Mateus 6:1-4 “Ensino a respeito das esmolas. 1 — Evitem praticar as suas obras de justiça diante dos outros para serem vistos por eles; porque, sendo assim, vocês já não terão nenhuma recompensa junto do Pai de vocês, que está nos céus. 2 — Quando, pois, você der esmola, não fique tocando trombeta nas sinagogas e nas ruas, como fazem os hipócritas, para serem elogiados pelos outros. Em verdade lhes digo que eles já receberam a sua recompensa. 3Mas, ao dar esmola, que a sua mão esquerda ignore o que a mão direita está fazendo, 4para que a sua esmola fique em secreto. E o seu Pai, que vê em secreto, lhe dará a recompensa.” Versão Nova Almeida Atualizada (NAA)


O capítulo 6 de Mateus, começa com Jesus ensinando sobre áreas da tradicional vida devocional religiosa, que inclui praticar a justiça e dar esmolas.


Ele adverte da devoção ostensiva (que é para ser mostrado ou visto) ou o formalismo mecânico, e Jesus então promove a obediência à Palavra de Deus. A chave para uma vida devocional autêntica, não é usar do fingimento, mas viver uma viver uma vida humilde à luz da vontade do Pai.


O Senhor há de presentear os seus com o chamado galardão, que são prêmios ou até mesmo presentes que Deus dá, mas ele não vem quando alguém está atrás de autopromoção.


Alguns princípios ensinados nesse texto:


1. Praticar a justiça (comportamento que é moralmente correto, não para ser visto pelos outros, mas para ser visto por Deus. Dicionários definem justiça como um comportamento que é justo ou reto. Esse comportamento é caracterizado pela aceitação dos padrões de moralidade, justiça, virtude ou integridade. O padrão bíblico de justiça humana, é a própria perfeição de Deus em cada atributo, cada atitude, cada comportamento, em cada palavra. Assim, as leis de Deus, como ensinadas na Bíblia, descrevem o Seu próprio caráter e como Deus mede a justiça humana.

http://www.gotquestions.org/righteousness.html#ixzz3LK9jXKjc


A justiça agrada a Deus, pois Deus é justo e nele não há injustiça nenhuma. Uma palavra que é citada na bíblia algumas vezes, é a palavra iniquidade (aquele que é contrário à equidade, desigualdade, injustiça). Deus não se agrada da injustiça, pois a Sua natureza é justa. Isaías 59:2 “Mas as iniquidades de vocês fazem separação entre vocês e o seu Deus; e os pecados que vocês cometem o levam a esconder o seu rosto de vocês, para não ouvir os seus pedidos.”

A iniquidade afasta o homem de Deus.


Ilustração da viúva e o juiz em Lucas 18:6-8a “6Então o Senhor disse: — Ouçam bem o que diz este juiz iníquo. 7Será que Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que a ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los? 8Digo a vocês que, depressa, lhes fará justiça.” Essa parábola ilustra a importância da oração e também que Deus faz justiça aos seus escolhidos que clamam de dia e de noite. Ele fará justiça depressa.


2. Viver a simplicidade, que é falta de ostentação, não a hipocrisia (pretendente ser o que não é), ou pretendendo acreditar ser alguma coisa que não é.

3. Ser generoso. Ofertar em amor e gratidão para o Pai Celeste que tem dado tudo para as pessoas. Não é necessariamente falar para a outra pessoa que é generoso ou que está ofertando. Não há necessidade de chamar a atenção dos outros quando alguém está ofertando. Dar ou ofertar é uma prática de fé com Deus. Nunca é dar para receber respeito ou para mostrar a sua própria importância. Dar não é negociar, mas ter uma atitude de gratidão a Deus. O Senhor há de suprir cada uma das necessidades reais, mas não as vaidades. Há recompensas eternas ao dar o dinheiro, o tempo, os talentos para o Reino de Deus sem esperar nada em troca. O Senhor dá todas as coisas sem que o homem mereça nada.


Duas ilustrações bíblicas sobre as ofertas: