• INCC

Ministério Sábado de Oração se reunirá dia 30 de novembro para um tempo de consagração

Frutifica-me ó Espírito Santo

“Senhor Jesus, peço que neste dia eu tome tua cruz e te siga.


Espírito Santo, peço que neste dia me enchas de ti e faças teu fruto amadurecer em minha vida: amor, alegria, paz, paciência amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio”.


Essa era a oração que John Stott (1921-2011), fazia todas as manhãs, assim que acordava. (1)

(1) Extraído do livro: Aprendendo a viver como Jesus – de Christopher J. H. Wrigth

Na carta de Paulo aos Gálatas temos a seguinte instrução, após uma lista, sobre as obras da carne:

Gálatas 5.22 Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, 23 mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.

Eis aqui o retrato de Jesus, nosso exemplo a seguir.


Nunca imaginei uma oração assim, como a de John Stott

Em nossas orações, pedimos muitas coisas. São muitas as nossas petições: salvação de um ente querido, cura, restauração familiar, portas de emprego, prosperidade financeira, vida ministerial, mas, raramente pedimos ao Senhor, “frutifica-me”.

Veja que a relação do fruto do Espírito, começa com Amor. Ao contrário do que muitos pensam, é apenas um fruto, o Amor.


Relembrando o apostolo do amor, João:

1 João 4.8 – Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.

Ou seja, sem este amor, não conhecemos a Deus, e não conseguiremos frutificar este maravilhoso fruto que somente o Espírito de Deus pode gerar em nós.


É o Espirito Santo quem nos convence do pecado, da justiça e do juízo (João 16.8) , ou seja, somente através Dele podemos ter a oportunidade de sermos semelhantes a Jesus.


O Espírito Santo é como um agricultor que prepara a terra para que, convencidos, estejamos prontos para receber as “sementes”, e frutificar.


Exercitar este amor não é fácil. Vivemos dias corridos, conectados, mas não próximos, virtualmente temos amizades, virtualmente oramos, virtualmente frutificamos, mas e o amor? É virtual?


Jesus nos dá o exemplo em seus 3 anos de ministério, de como devemos amar:

Mateus 22.39 – O segundo semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.


Porque, quem tem amor, é feliz, é alegre, tem paz, é longânimo (consegue suportar as adversidades da vida mantendo-se firme em meio as dificuldades, é benigno ( faz o bem independente de quem precisa de ajuda ), é bom em todo tempo, é fiel, ele respeita, é manso, doce ao falar é suave ao falar com o próximo, e o mais difícil em nossos dias, tem domínio próprio, sobre suas emoções, sobre suas reações.


Mas, vamos começar pelo amor e com certeza tudo virá em sequência para que sejamos verdadeiramente como Jesus nos ensinou.


Que possamos em nossas orações, logo ao amanhecer, assim como John Stott dizer:

“Espírito Santo, peço que neste dia me enchas de ti e faças teu fruto amadurecer em minha vida: amor, alegria, paz, paciência amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio”.

Que sejamos frutificados! Deus abençoe!


PARTICIPE DESSE PRECISO TEMPO DE ORAÇÃO!

· Dia 30/11/19- Sabado

· Local: Auditório Ildo Matos

· Das 9:00 as 11:00 hs

0 visualização
logo incc preto.png
Igreja do Nazareno Central de Campinas