• INCC

GC I Estudo 26: Guia Prático da Vida Cristão - Riquezas no Céu


VERSÍCULOS CHAVE:

“19 — Não acumulem tesouros sobre a terra, onde as traças e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; 20 mas ajuntem tesouros no céu, onde as traças e a ferrugem não corroem, e onde ladrões não escavam, nem roubam. 21 Porque, onde estiver o seu tesouro, aí estará também o seu coração.”

Mateus 6:19-21 - Versão Nova Almeida Atualizada (NAA)


Como podemos ficar ricos?

Essa pergunta ou esse desejo pode estar na mente e no coração hoje de muitas pessoas. Esse desejo exerce um fascínio permanente na história da humanidade. Mas, existe até uma afirmação que diz que temos três chances de ficarmos ricos na vida: quando nascemos, quando casamos ou quando acertamos algum jogo e/ou loteria. Uma coisa é certa, nossas ações terrenas serão direcionadas pelos propósitos que almejamos.


Deus sabia que as finanças seriam algo importante em nossa sociedade. Prova disso é que nas Escrituras Sagradas existem aproximadamente 300 versículos sobre anjos, 500 sobre amor, 700 sobre fé e mais de 2.350 versículos falando sobre dinheiro e riquezas, segundo pesquisa realizada pelo Howard Dayton.

Quero lhes dizer que a Bíblia e o próprio Senhor Jesus tratou deste assunto com muita veemência. Das 21 das 49 parábolas de Jesus estão relacionadas ao dinheiro. Ele tratou sobre dinheiro cerca de 80 vezes em seu ministério.


Quando o Senhor Jesus fala a respeito dos tesouros que podem ser acumulados na terra, fala também de tesouros que podem ser acumulados no céu. Ele não está falando, necessariamente, do mesmo tipo de tesouro terreno e espiritual. Na verdade, vamos perceber que acumular ou não tesouros nos céus, tem muito a ver com a forma como nós lidamos com a questão dos tesouros aqui na terra.

Precisamos entender que a vida cristã envolve pensar em algo que é muito maior do que aquilo que é terreno, ela envolve pensar naquilo que é espiritual.

O apóstolo Paulo quando escreveu em Colossenses 2:20 “Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças”. Isto é, quando conhecemos a Cristo como Salvador e Senhor das nossas vidas nossa relação com o dinheiro muda drasticamente. Não servimos mais o dinheiro, ele não nos governa mais e também não somos mais seus escravos. Agora temos um Deus que cuida das nossas vidas nos sustentando, nos orientando, inclusive dando-nos a benção de evoluirmos, se for de Sua vontade, em nossas vidas do ponto de vista financeiro.


Mas a questão é: Como você está agindo? Será que corremos o risco de esquecer das questões espirituais e darmos mais valor às coisas terrenas e passageiras?

Precisa haver um nível de desligamento desse mundo.

Veja o que o apóstolo Paulo no capítulo 3 de Colossenses: “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus”.


A Palavra de Deus fala de vivermos não apenas para aquilo que é natural e terreno, mas enfatiza que devemos viver e construir pensando naquilo que é espiritual.

Esta primeira declaração de Jesus sobre não acumular tesouro para nós na terra, não significa que o cristão não pode ter nenhum tipo de bem ou posse. Essa palavra traduzida como acumuleis, no original grego, é “tessariuso”, fala de amontoar, de acumular, fala de armazenar.

Muitos, hoje em dia, defendem uma prosperidade que faz do cristão uma espécie de represa, mas essa não é a prosperidade bíblica. A prosperidade bíblica é na verdade, não acumularmos para nós, mas isso não significa que recursos não possam passar pelas nossas mãos. Eles não deveriam parar na gente, mas sim nós que deveríamos parar de pensarmos só na busca, na conquista ou na preocupação com eles.


Há dois mitos que temos que derrubar aqui:


1. Quando confundimos a ideia de que não podemos ter tesouros na terra. A Bíblia nos diz “Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” 1 Timóteo 6:10 e em Eclesiastes 5:10: “Quem ama o dinheiro jamais dele se farta; e quem ama a abundância nunca se farta da renda; também isto é vaidade.” , por outro lado, diz “se as vossas riquezas aumentam, não ponhais nelas o coração” Salmo 62:10. Para mim fica claro que o problema não é o dinheiro, mas como o coração se relaciona com ele. Se por um lado vemos Jesus dizendo para aquele homem rico que abrisse mão de sua riqueza; por outro lado, nós temos o apóstolo Paulo escrevendo a Timóteo em sua primeira carta em 6:17 “Exorta aos ricos (cristãos ricos) do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento”. Não é para eles se livrarem de tudo, mas que eles fossem generosos, prontos a repartir. Nós precisamos entender em primeiro lugar que Jesus não está falando contra ter riquezas, embora esteja dizendo que as riquezas não podem nos dominar. Se por um lado precisamos derrubar esse mito de que o cristão não pode ter recurso algum, por outro lado, estamos indo para outro lado errado.


2. Um novo mito na nova geração precisa ser derrubado que é este: “Se você não tiver muito recurso, você não é abençoado”. A evidência da benção de Deus está no seu progresso material. E mais, tudo está protegido por Deus de forma sobrenatural, é só você dar o dízimo. Não estou falando contra o dízimo, mas declarar que você deu o dízimo e nada que você tem não sofrerá nenhum tipo de perda, não condiz com o que Jesus está falando. Ele diz um dos motivos para juntarmos tesouros no céu, é porque aqui “a traça e a ferrugem corroem, e os ladrões escavam e roubam”.


O que Ele está dizendo no verso 19 “Não acumule tesouro na terra que a traça e a ferrugem corroem e os ladrões escavam e roubam”, estava falando para seus seguidores e discípulos. Vocês que me seguem são meus discípulos, estão sujeitos a terem seus bens roubados. Estão sujeitos a sofrerem perdas materiais. Ele não estabeleceu um seguro sobrenatural dizendo que nada jamais nos tocaria. Aliás, eu acredito que de vez em quando esse tipo de perda vem até como certo lembrete para que a gente não fique preso a nenhuma dessas coisas.

Dito isso, vamos seguir adiante no raciocínio do Senhor Jesus.


O QUE É JUNTAR TESOUROS NOS CÉUS?


Ser rico no céu é simplesmente só ser pobre na terra?

A partir da conversa que Jesus teve com o jovem rico e este lhe perguntou: “O que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna?” Jesus fala para ele guardar os mandamentos. Mateus 19:17, porém o jovem replicou: “tudo isso tenho observado que me falta ainda? Disse Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terá um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. Tendo, porém, o jovem ouvido esta palavra, retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades”. Mateus 19:16-22.


A Bíblia classifica esse jovem como rico, quando o Senhor Jesus fala para esse jovem vender tudo que ele tem e dar os recursos aos pobres, para então ter um tesouro no céu, passamos a pensar que o que precisamos para ter um tesouro no céu seria só se desfazer de tudo na terra. Se riqueza espiritual fosse conquistada com pobreza terrena, então a maioria das pessoas da terra estaria numa situação espiritual privilegiada, porque a maioria dos habitantes da terra não tem riqueza na terra.


Mas, o que a Palavra de Deus nos mostra aqui é que a riqueza não é aquilo que a gente tem aqui na terra. Riqueza é o que a gente faz com aquilo que a tente tem.

Jesus não estava dizendo que o caminho para ser rico no céu era ser pobre na terra. O caminho para ser rico no céu era usar devidamente os recursos aqui na terra em prol do que realmente importa. Uma pessoa que não tem nada aqui na terra, não necessariamente será rico no céu. Mas alguém que usa seus recursos aqui na terra, a ponto de até empobrecer, abrindo mão do que tem, mas fazendo o que é correto para estabelecer o Reino de Deus, para propagar os valores do reino, ela está juntando tesouros nos céus.


Nós entendemos essa visão de juntar tesouros como não apenas alguém que se livra de tudo que tem. Em 1 Timóteo 6:17 Paulo exorta “os ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus que tudo nos proporciona ricamente para o nosso aprazimento, que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos para repartir, que acumulem para si mesmo tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida”...



Paulo está dizendo que os ricos precisariam ser generosos, estarem prontos a darem e a repartirem, não a desfazer de tudo. A repartirem tudo que tem. Desta forma, acumulariam para si mesmo tesouros celestiais. A maior definição bíblica de riqueza não é aquilo que eu tenho aqui na terra, mas o que faço com aquilo que tenho aqui na terra.

Deus quer lhe dar não somente o que você precisa. Ele quer te dar mais do que você precisa, não para que isso seja só para você, não para que você acumule, mas que você possa socorrer ao necessitado. Juntar tesouros nos céus tem a ver com tudo o que você faz com os tesouros que você tem aqui na Terra, não importa se eles são poucos ou muitos.

Tendo entendido que Jesus disse sobre não acumular, o problema não é ter, é juntar somente para si.


Ele também quer nos agradar com aquilo que nos toca. Não quer que tenhamos nenhuma mentalidade egoísta e avarenta. Mas quer também nos agradar, mas Ele espera que aquilo que nos agrada seja também aquilo que a gente usa para abençoar os outros.

O propósito não é acumular na Terra. A ideia de juntar tesouros nos céus é algo que diz respeito ao que nós fazemos com aquilo que temos aqui na Terra.